MyHeritage DNA – O que a genética diz sobre meus ancestrais

Já se perguntou de onde vieram seus ancestrais? Photo by Cheryl Winn-Boujnida on Unsplash.
Já se perguntou de onde vieram seus ancestrais? Photo by Cheryl Winn-Boujnida on Unsplash.

Olá!

Há alguns anos venho pesquisando, conforme o tempo disponível, sobre meus antepassados. Já até escrevi um livro (impresso apenas para familiares) sobre meus ancestrais maternos.

Se quiser saber um pouco mais sobre os portugueses e italianos da família, há textos sobre os Donà, os Sartori e os Couto aqui no blog.

Uma curiosidade que eu tinha, porém, é sobre o quanto eu teria de cada povo no meu DNA. Não acredito que isso seja fator determinante, claro, pois a nacionalidade de alguém me parece ser mais assimilação do que genética.

Há um tempo atrás, vi no blog Livin’ La Vida…Rick! um relato sobre a experiência que ele teve com um exame do tipo. O blog, aliás, é excelente. Recomendo!

O texto do Rick me deixou ainda mais curioso, mas há diversas opções… qual seria a melhor?

Acabei optando pela MyHeritage, mas recomendo que você pesquise entre os exames disponíveis no mercado e encontre a empresa que te passa maior confiança. No meu caso, fiquei bastante satisfeito.

Antes de fazer o exame, eu tinha uma série de expectativas. Entre elas, a possível presença de DNA de povos originários da Amérida do Sul, pois há relatos de familiares no ramo materno nesse sentido.

Depois que você adquire o exame, pelo menos no caso do MyHeritage, há a seguinte sequência de passos:

  • O kit (uma caixinha) chega em sua casa, contendo uma folha com código de barra para identificação de quem está fazendo o exame, duas escovinhas (similares a cotonetes) para esfregar na parede interior das bochechas (uma para cada), dois frascos pequenos para armazenar as escovinhas depois de coletado o material e um envelope para devolução das amostras.
  • Você recebe o material e ativa o kit, diretamente no site da empresa.
  • Após executar os passos, armazena as escovinhas nos frascos, lacra o envelope e devolve nos Correios ou transportadora de sua preferência. Os custos de envio para o laboratório também são pagos por você.
  • Depois que as amostras são recebidas, a MyHeritage solicita cerca de um mês para disponibilizar os resultados online.

A minha expectativa era de que eu teria menos de 40% de DNA proveniente das penínsulas ibérica e itálica, com o restante sendo uma verdadeira mistura.

Resultados

MyHeritage DNA - Resultados.
MyHeritage DNA – Resultados.

Para a minha surpresa, porém, o exame acusou 92,4% de DNA proveniente do continente europeu, sendo 43,2% da região onde hoje se localiza a Itália e 27,7% da península ibérica, onde temos Portugal e Espanha.

Até aí, apesar de ser acima do que eu esperava, não me surpreendeu tanto. O susto maior veio do restante dos traços europeus do DNA, com 21,5% de segmentos genéticos para os territórios irlandeses, galeses e escoceses. Jamais fiquei sabendo de qualquer informação nesse sentido entre os meus familiares!

Outro fator que me surpreendeu foi a presença de DNA “centro-americano”, que foi de apenas 5,4%.

Por último, mas igualmente impressionante, vieram dois dados de origem totalmente inesperada, com 1,1% para o Oriente Médio e o mesmo percentual para a região de Papua, na Oceania.

Além dos dados estritamente de origem geográfica, o MyHeritage oferece outro recurso interessante. Baseado no conteúdo do seu DNA, eles ainda calculam se há outras pessoas no sistema que tenham alguma semelhança genética, podendo identificar primos e outros níveis de parentesco que tenham ancestrais em comum até um certo nível.

Hoje, na data de publicação desse texto, tenho 717 “parentes distantes” identificados pelo sistema, distribuídos em quase 30 países diferentes, mas principalmente residentes nos Estados Unidos (331), Brasil (64) e Portugal (27).

 

Por que não há detalhes mais específicos em algumas regiões?

Você pode ter feito essa pergunta quando leu o resumo dos meus resultados, mas não é algo difícil de explicar.

Ao contrário dos nossos mapas das aulas de geografia, as fronteiras do mundo, especialmente no passado, representam uma formalidade legal, política e econômica.

Em termos de fluxos migratórios e de origem, os povos primitivos não eram estritamente contidos dentro de linhas imaginárias, mas espalhados por grandes porções de terra. Uma possível exceção fica para povos de ilhas, por exemplo, que tendem a ter uma distribuição mais restrita.

 

E você, tem interesse nesse tipo de assunto?

Arrivederci! 🙂

P.S.: O texto não foi patrocinado. Procure a melhor opção para você e depois me conte o que achou…

Publicado por

Adriano Donato Couto

Ítalo-brasileiro nascido em Minas Gerais, morando atualmente na região de Lisboa. Desenvolvedor de software. Italo-brasiliano nato a Minas Gerais. Abita attualmente a Lisbona (Portogallo). Sviluppatore di software. Italian-Brazilian that was born in Minas Gerais (Brazil). Living in Lisbon currently. Software developer.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s