Como alugar um apartamento em Londres?

Photo by Amadeusz Misiak on Unsplash.
Hampstead Heath, Londres. Photo by Amadeusz Misiak on Unsplash.

Olá!

Hoje eu gostaria de falar de uma das primeiras coisas que todo novato em Londres costuma fazer: alugar um quarto ou casa.

Há sempre aquela dúvida sobre quais seriam os procedimentos e como se proteger de falcatruas.

Como muitos sabem, eu me mudei para o Reino Unido no último dia de novembro de 2018. Morei por um mês em quartos de hotel e AirBnBs em uma cidade pequena nos arredores, onde a empresa onde trabalho funciona. Enquanto isso, procurava algo em Londres.

Para começar a discussão, o primeiro passo é definir o que você pretende alugar: imóvel inteiro ou quarto?

Enquanto o aluguel de um imóvel inteiro envolve vários procedimentos, um quarto pode ser bem mais simples de conseguir.

Quando você decide por compartilhar um apartamento, alugando um quarto de um imóvel já alugado, o que você deve levar em conta é, principalmente:

  • O dono do imóvel (caso não seja a mesma pessoa que está te alugando o quarto), sabe e está de acordo com a sublocação do local?
  • O que será feito com o dinheiro que você pagará adiantado, que ficará como garantia até o dia de sua saída?
  • Há alguma forma de registro desse aluguel?

Outro fator extremamente importante é: sempre se comunique por via escrita, registrando o que foi acordado. Isso te ajudará a se proteger de eventuais “mudanças de vento” no acordo.

Para encontrar um local disponível, o mais comum é consultar o site de estate agents (o equivalente às nossas imobiliárias no Brasil) ou sites especializados em aluguel e/ou venda, como os seguintes:

  • Spare Room: contém quartos ou mesmo imóveis inteiros para aluguel
  • Right Move: mais voltado para apartamentos completos, ao invés de quartos.
  • Zoopla: mais voltado para aluguel de propriedades completas, inclusive comerciais;
  • GumTree: site de classificados em geral, mas que também possui muitos quartos e apartamentos para compra/aluguel;

Depois de encontrado locais que te agradam, quando este for intermediado por um estate agent, o padrão é que você agende visitas.

A partir daqui, relatarei o processo pelo qual passei para alugar um apartamento inteiro, compartilhando o contrato com conhecidos.

Nesse ponto, é bom que você avalie mais de uma vez cada local. Além disso, circule pela vizinhança, verifique que tipo de comércio você terá à sua volta e como é a infraestrutura de transporte que te atenderá por ali.

Se o imóvel lhe agrada, o próximo passo será fazer uma proposta. Geralmente, isso quer dizer que você deverá apresentar seus dados pessoais, documentação, comprovação de renda, pagamento inicial de garantia (valor pequeno, apenas para que o estate agent não “perca tempo” caso você desista) e aguardar a resposta do landlord (proprietário). Aqui, vale também informar suas condições iniciais como tenant (inquilino).

Algumas das condições inicias podem ser a limpeza do apartamento, o conserto de algum item defeituoso e outras coisas que evitem uma experiência desagradável logo após a mudança.

Com o negócio aceito pelo proprietário, você precisa acertar a forma de pagamento de alguns valores, entre eles:

  • Deposit (depósito): valor retido até que você devolva o apartamento, usado para garantir que o proprietário possa descontar eventuais prejuízos que ele tenha com os inquilinos, envolvendo o estado do imóvel (vandalismo, por exemplo) ou alguma conta de consumo que ficou sem pagar. No geral, equivale a um ou dois meses de aluguel.
  • Rent in advance (aluguel adiantado): por padrão, você deposita um mês de aluguel. Depois disso, todo mês você pagará o mês seguinte. O nosso “paga para morar”, já conhecido no Brasil.
  • Administration fee: taxa paga aos agentes imobiliários, geralmente pago por pessoa que estará no contrato (por inquilino, ou tenant).
  • Contract fees: taxas do contrato, para a famosa “burocracia” e impostos.

Neste momento, eles descontarão aquele primeiro valor pago do total a ser depositado para emissão do contrato. Por regra, a movimentação é feita para o estate agent, que encaminha para o landlord.

Com tudo aceito e o depósito feito, assina-se o contrato e assina-se também o inventário de estado e composição do apartamento, que cita cada detalhe dos itens de mobiliário e conservação da estrutura, para que se compare ao final do período de aluguel. Se algo estiver diferente e for por causa dos inquilinos, o valor poderá ser descontado do depósito.

Há um detalhe importante nesse estágio: seu depósito deve ser colocado pelo proprietário do imóvel sob os cuidados de um agente autorizado pelo governo, que manterá o dinheiro sob seus cuidados até a data de saída dos inquilinos. O comprovante de que isso foi feito deverá ser entregue aos inquilinos em um prazo razoável, que para nós foi estipulado em 30 dias (não sei se a lei prevê prazo maior). Este procedimento é obrigatório!

Por último, alguns alertas:

  • Só permita que os estate agents saiam do processo quando estiver conforme exigido e acordado entre as partes, pois a partir daí seu contato será apenas com o landlord.
  • Leia tudo antes de assinar.
  • Mantenha sempre em mãos dados válidos de contato com o landlord, pois é ele o responsável pela manutenção do local e de itens que se deteriorem pelo uso natural ou tempo.
  • Jamais pague em dinheiro ou sem comprovação. Só faça movimentações financeiras com o estate agent ou o landlord por transferência ou outras operações bancárias, facilitando a comprovação posterior.

Bom, é isso! Espero que este texto tenha te ajudado de alguma forma.

Arrivederci! 🙂

Anúncios