Faro: uma cidade que não tem apenas praias

Vista de Faro no voo de chegada. Foto por Adriano Donato Couto.
Vista de Faro no voo de chegada. Foto por Adriano Donato Couto.

Faro é uma cidade relativamente pequena, mas muito conhecida por ser a capital do Algarve, um dos pontos turísticos preferidos em Portugal para aqueles que procuram praias.

Aqui no Reino Unido, por exemplo, a cidade virou uma opção facilmente lembrada quando as pessoas querem curtir um verão mais… quente!

Como já comentei no primeiro texto sobre Faro, mesmo que ela seja conhecida quase que exclusivamente por sua posição estratégica para acesso às praias da região, há alguns pontos turísticos na cidade que valem a visita.

Na minha volta a Portugal, foi ali que cheguei e passei quase um dia completo. Por conta disso, conto hoje para vocês sobre o que esperar da capital algarvia além das praias.

O primeiro ponto que visitamos foi o Arco da Vila, um portal para a cidade antiga, construído sobre uma das portas medievais de Faro, parte das muralhas. A construção do arco se deu por ordem do Bispo D. Francisco Gomes do Avelar, com inauguração em 1812.

O mais curioso durante a minha passagem pelo arco, porém, foi a presença de alguns ninhos gigantes de aves típicas da região, como você pode ver na imagem a seguir.

Arco da Vila, Faro - Algarve, Portugal. Foto por Adriano Donato Couto.
Arco da Vila, Faro – Algarve, Portugal. Foto por Adriano Donato Couto.

A primeira parada depois do arco foi a Sé Catedral de Faro (Igreja de Santa Maria de Faro), que diz-se ter sido construída em 1251 por ordem do arcebispo de Braga. Passou, assim como o restante da cidade, por invasão e saque por parte dos ingleses em 1596, liderados pelo II Conde de Essex, Robert Devereux. Depois disso, inúmeras alterações e/ou restaurações foram feitas, mas ela não sofreu muitas mudanças desde os trabalhos executados após os terremotos de 1722 e 1755.

A entrada, segundo o site da Diocese do Algarve, custa 3,50 euros. O valor é baixo, mas queríamos conhecer o interior de outro templo, como você verá a seguir, então não entramos.

Depois dali, passamos pela loja da Comur, ou Mundo Fantástico da Sardinha Portuguesa, como eles anunciam. A empresa pegou a sardinha, um dos peixes mais importantes para Portugal, e criou uma série de latas comemorativas para cada um dos anos entre 1916 e 2019, citando sempre importantes pessoas que nasceram na época, fatos importantes e outras coisas. Para quem gosta, pode ser um presente interessante (e bem inusitado).

Seguindo nosso roteiro, passamos pela Igreja de Nossa Senhora do Carmo, enriquecida pelo seu interior repleto de acabamentos dourados, mas ainda mais conhecida por outro ponto dentro de seus muros: Capela de Ossos.

Igreja de Nossa Senhora do Carmo, Faro - Algarve, Portugal. Foto por Adriano Donato Couto.
Igreja de Nossa Senhora do Carmo, Faro – Algarve, Portugal. Foto por Adriano Donato Couto.

A Capela de Ossos, para o espanto de alguns e admiração de outros, é uma seção dentro dos jardins da Igreja de Nossa Senhora do Carmo que tem suas paredes completamente revestidas por ossos,  inclusive crânios.

O espaço foi construído em 1816, com os ossos exumados dos túmulos dos monges carmelitas que serviram a igreja onde se encontram. Segundo se conta, a intenção era a de lembrar a todos sobre a vida dos monges que ali já viveram e mostrar como a vida é breve e passageira.

Uma frase memorável de lá (que eu não encontrei onde estava escrito, infelizmente) é: “Pára aqui a considerar que a este estado hás-de chegar”.

Capela de Ossos, Faro - Algarve, Portugal. Foto por Adriano Donato Couto.
Capela de Ossos, Faro – Algarve, Portugal. Foto por Adriano Donato Couto.

O ingresso, que dá acesso à igreja principal e à capela, custa 2 euros (preço de julho de 2019), mas verifique antes o horário de funcionamento, pois elas costumam fechar em finais de semana ou horário de almoço, além dos períodos em que haja celebração de missa.

Ainda ali nas redondezas, passamos também pela Igreja Matriz de S. Pedro. Pode não ser a sua primeira opção quando se olha rapidamente de fora, mas seu exterior é bem típico da região e o interior, muito bonito. Na sua história, há relatos da construção deste templo, substituindo a ermida anterior, na segunda metade do século XVI.

Igreja Matriz de São Pedro, Faro - Algarve, Portugal. Foto por Adriano Donato Couto.
Igreja Matriz de São Pedro, Faro – Algarve, Portugal. Foto por Adriano Donato Couto.

Por fim, paramos para descansar na Marina de Faro, onde repousam muitos dos barcos dali. Apesar de simples, é agradável andar por ali e conferir as lojinhas de souvenirs.

Além dos itens citados acima, vale mencionar que todo o centro antigo da cidade, em especial a parte dentro da região das antigas muralhas, é muito bonito. Vale, inclusive, ir pela região entre as muralhas e a linha do trem e conferir a espécie de mangue que há em direção ao mar, onde há sempre alguns moradores colhendo mariscos ou algo similar.

Conclusão

Se você vier a Faro apenas pela cidade e ficar mais de um dia, provavelmente se frustrará. A cidade é relativamente pequena, apesar de sua importância para a região, então é recomendável que você inclua praias e outras cidades vizinhas no roteiro.

Se, em vez disso, você pretende ficar apenas um dia andando na cidade, vale a pena. Há boas opções onde comer, uma arquitetura simpática e um clima bem agradável.

E é isso… Na semana que vem, converso contigo sobre Lisboa, o ponto seguinte na viagem que fiz a Portugal.

Arrivederci! 🙂

Anúncios