Metrô de Londres: o mais antigo do mundo e por que apenas uma estação toca uma voz diferente das demais

Emblema da estação Embankment.

Para quem mora em uma grande metrópole, — ou apenas visita alguma a passeio — a presença de um serviço de metrô é quase óbvia.

Quando a cidade em questão é Londres, felizmente, tem-se um serviço bem completo à disposição: inúmeras linhas de metrô, overground (“metrô” de superfície), bonde elétrico, ônibus, trens urbanos e serviço de aluguel de bicicletas.

Obviamente, assim como em qualquer outra coisa, o underground tem seus probleminhas: os trens são mais estreitos do que o usual e faz bastante calor dentro dos vagões, principalmente no verão.

No texto de hoje, porém, eu gostaria de focar em outra coisa: a história do metrô de Londres.

O mais antigo do mundo

Estação Queens Road (agora Queensway) por volta de 1900. Autor desconhecido. Domínio público. Fonte: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:London_Underground_circa_1900.jpg
Estação Queens Road (agora Queensway) por volta de 1900. Autor desconhecido. Domínio público. Fonte: Wikimedia

Muita gente considera as estações mais antigas do metrô um charme, mas algo que muitos não devem imaginar é que o serviço é bem mais antigo do que se imagina.

No dia 10 de janeiro de 1863, o serviço mais antigo do mundo de transporte por trens subterrâneos começava a circular.

O criador foi Charles Pearson, que julgava que o transporte de passageiros em Londres precisava de alguma solução, já que as ruas estavam já repletas de outros veículos, incluindo ônibus de dois andares puxados por cavalos.

Entre as possíveis soluções para adicionar meios de transporte sem utilizar as vias já sobrecarregadas, a ideia de um trem subterrâneo prevaleceu. O engenheiro responsável pela obra foi Sir John Fowler.

A tração dos veículos era feita por vapor, com um vagão especial coletando toda a “fumaça” produzida para liberação posterior.

Este isolamento do vapor não era perfeito, obviamente, então alguns trechos de túneis possuíam abertura superior, justamente para melhorar a qualidade do ar no transporte.

O primeiro trecho do serviço, segundo o site da Transport for London (que gere os modais de transporte de passageiros na cidade), era entre Paddington (na época chamada de Bishop’s Road) e Farringdon Street.

Os trilhos de trems elétricos começaram a ser incluídos no serviço somente em 1890, com outros trechos sendo convertidos/construídos nos anos posteriores.

No Reino Unido, o metrô também é conhecido como Tube, devido ao formato cilíndrico dos túneis e dos trens.

Estação Embankment e sua voz especial

Em serviços antigos como o de Londres, é normal que inúmeras curiosidades surjam e se tornem famosas entre o público.

Mind the gap (algo como “cuidado com o vão”), clássica frase de aviso alertando para o espaço entre o trem e a plataforma, é só uma entre as frases ditas no transporte pelo sistema de som.

Se você passar pela estação Embankment, entretanto, notará uma voz diferente a anunciar icônica frase ao público. Este detalhe só é percebido na plataforma do sentido norte da linha Northern.

A história por trás disso é um pouco triste, mas o movimento que causou esta peculiaridade demonstra uma boa dose de empatia por parte dos envolvidos.

Esta curiosidade foi originalmente contada pelo jornalista John Bull em uma sequência no Twitter:

De uma forma resumida, a história é a seguinte…

Pouco antes do Natal de 2012, Margaret McCollum, uma “GP”* em Londres, procurou alguém na equipe de funcionários e perguntou sobre o paradeiro “da voz”.

* GPs, no Reino Unido, são equivalentes aos “Médicos da Família” no Brasil. São profissionais que trabalham em uma comunidade específica, atendendo casos de clínico geral e encaminhando casos mais graves para clínicas e/ou hospitais.

Os funcionários não conseguiam saber ao certo o que ela queria dizer, até que ela explicou que procurava pelo homem que narra o “Mind the gap“, que ela não estava mais ouvindo.

Eles explicaram que o sistema de anúncios havia sido atualizado para uma versão digital, trazendo novas vozes e mais variedade.

Quando a mulher explicou o motivo pela qual a voz lhe fazia falta, porém, os funcionários se surpreenderam: a voz pertencia ao seu marido, já falecido.

Oswald Laurence, seu antigo marido, foi um ator britânico e havia gravado a voz para o sistema da linha Northern (Norte) do metrô nos anos setenta.

Após a morte de Oswald, em 2007, Margaret encontrou uma alegria diária na possibilidade de continuar escutando a voz do marido todos os dias em seu percurso para o trabalho, fazendo pausas na estação vez ou outra para ouvi-lo um pouco mais.

Os funcionários disseram que sentiam muito por aquilo, mas o sistema estava fora do controle deles e, portanto, não havia muito que pudessem fazer.

O que aconteceu depois, porém, é daquelas histórias que aquecem automaticamente o coração de quem as conhece.

Assim como Margaret, muitos na estação já haviam perdido entes queridos. Nem todos poderiam ter a mesma oportunidade que ela, mas proporcionar isto àquela senhora traria, de alguma forma, alegria aos seus corações.

Os funcionários procuraram pelos arquivos, estudaram a documentação e o código do novo sistema de anúncios, digitalizaram o áudio antigo e trouxeram uma boa nova.

Já no Ano Novo em 2013, Margaret passou pela estação e uma voz chamou sua atenção. Era novamente Oswald quem “falava” com ela e os demais passageiros.

Mind the gap.

Além de trazer de volta a voz de Oswald, os funcionários deram à viúva uma cópia em CD das gravações do marido, para que ela tivesse a oportunidade de escutá-lo sempre que desejasse.

Lindo, não é mesmo?

Não sei vocês, mas eu choro sempre que leio sobre isso novamente.

Para quem desejar, pode conferir a biografia de Oswald Laurence no IMDB (em inglês).

Eu fui pessoalmente para filmar a estação, mas justo neste dia eles estavam anunciando tudo ao vivo (sem a voz do ator), então procurei no YouTube e consegui encontrar um vídeo bem curto e direto com a voz do dele:

E por hoje é só! Espero que tenham gostado da história do metrô e deste fato curioso de Embankment.

Arrivederci! 🙂

Ah! E espero que tenham um Natal maravilhoso! 🎅🏻

Marcado como: