2019: retrospectiva de um ano que pediu vários cafezinhos

Photo by Aron Visuals on Unsplash. Photo by Aron Visuals on Unsplash.

Se você já me acompanha há algum tempo, viu que 2018 foi um ano “insano” na minha vida.

Me mudei mais de uma vez de país e de trabalho e passei por vários desafios.

O ano de 2019 também não foi dos mais calmos…

Me mudei definitivamente para Londres neste ano. Antes, havia morado por pouco mais de um mês em AirBnBs na cidade onde trabalho, que fica bem próxima da capital britânica.

Dica: como alugar um apartamento em Londres?

A partir daí, minha vida estaria mais estabelecida, com um local alugado por pelo menos um ano e meu emprego já se consolidando.

Só que a vida nos traz surpresas, não é mesmo? Por conta disso, quero trazer aqui para vocês um pouco do que foi minha trajetória neste ano já quase “velho”.

Em janeiro, encontrei pela primeira vez quem seria minha principal companhia desde então. Entre trancos e barrancos, tudo se transformou em um relacionamento e estamos vivendo uma história bem bacana, apesar das turbulências de uma relação entre pessoas de diferentes culturas.

Nunca chorei e sorri tanto na minha vida!

Em março, comecei um desafio de leitura em inglês, para aprimorar minha fluência no idioma e tentar voltar a ler com frequência. O início e o fim da saga você acompanha aqui.

Em abril, completei um ano vivendo no exterior e fiz uma reflexão sobre isso. Também foi o início da minha primeira viagem ao Brasil desde então.

Depois disso, já em maio, resolvi entender um pouquinho sobre a culinária britânica. Para isso, perguntei aos colegas de trabalho e a alguns conhecidos sobre o que seria a culinária típica daqui e por que o Reino Unido teria a fama de ter “comida ruim”. O resultado ficou bem completo e você pode perceber em um texto que publiquei.

Junho foi um mês para matar a saudade de uma amiga muito especial que conheci em São Paulo, então fiz as malas e fui “aqui do lado”, em Dublin. Obviamente, eu não deixei de contar pra vocês sobre o meu roteiro de um fim de semana e ainda deixei algumas dicas extras.

Alimentando veados em Phoenix Park - Dublin. Foto por Adriana Pellegrino.
Alimentando veados em Phoenix Park – Dublin. Foto por Adriana Pellegrino.

Já com saudades de Portugal, fiz as malas em julho e visitei Faro, Lisboa (onde morei) e Porto. Aliás, Porto ganhou meu coração. Lisboa é uma cidade excelente, mas a rainha do Norte tem um estilo que me conquistou totalmente.

Porto vista pelas margens do rio Douro, a partir de Vila Nova de Gaia. Foto por Adriano Donato Couto.
Porto vista pelas margens do rio Douro, a partir de Vila Nova de Gaia. Foto por Adriano Donato Couto.

Já no fim de agosto, fiz minha última viagem internacional do ano e conheci Barcelona. É, sem dúvidas, uma das cidades mais interessantes que já conheci. Fiquei por lá mais ou menos 5 dias e parecia que não tinha ainda conhecido o suficiente. Com certeza, retornarei um dia!

Ah! No blog, Barcelona começou a aparecer só em setembro. 😉

Basilica de La Sagrada Familia, Barcelona.
Basilica de La Sagrada Familia, Barcelona.

Em setembro, visitei Cambridge. Os textos sobre a cidade saíram somente no mês seguinte e vale a pena conferi-los! Dá para visitar os principais pontos da cidade em um dia (cheio) e os trens entre Londres e Cambridge passam com bastante frequência.

Quer um motivo para visitar Cambridge? Foi na Universidade de Cambridge que Charles Darwin estudou, por exemplo. 😀

Bridge of Sighs. Reparou nas embarcações no rio Cam? São os punts, barcos típicos de lá.
Bridge of Sighs. Reparou nas embarcações no rio Cam? São os punts, barcos típicos de lá.

Foi também em setembro que visitei a Tower of London (Torre de Londres), conjunto de construções de extremo valor histórico e muito interessante. O passeio demandou um dia inteiro e valeu muito a pena.

Waterloo Barracks - Tower of London. É aqui que se pode conferir as joias da coroa.
Waterloo Barracks – Tower of London. É aqui que se pode conferir as joias da coroa.

Em novembro, visitei Brick Lane Sunday Market, um conjunto de feiras com vestuário vintage, vinis, comidas típicas de várias partes do mundo e muito mais. O local tem a pegada mais alternativa da área de Shoreditch, que eu adoro.

Uma das lojas de Brick Lane Vintage Market.
Uma das lojas de Brick Lane Vintage Market.

Agora em dezembro, a correria do final de ano ganhou um ar de tempestade perfeita: planejamento para mudar de casa no início de janeiro, alguns desafios estressantes no trabalho, conflitos pessoais e várias outras coisinhas.

O clima do natal britânico, que eu contei para vocês aqui no blog, ajudou a amenizar o stress. Já conferiu o texto?

As expectativas para 2020 são positivas, mas isso é papo para o próximo ano!

Feliz Ano Novo!

Arrivederci! 🙂