Como tirar a carteira de motorista no Reino Unido

Photo by Micheile Henderson on Unsplash.

Quem acompanha o blog há algum tempo deve se lembrar de quando eu solicitei a conversão da minha carteira de motorista (ou carta, Carteira Nacional de Habilitação, CNH, …) para a carta de condução de Portugal. Tenho um guia aqui no blog que explica o todo processo.

Quando me mudei para o Reino Unido, porém, procurei sobre os detalhes para se converter o documento para aquele utilizado por aqui. Até posso utilizar a portuguesa por um tempo, mas os residentes no Reino Unido precisam ter uma carteira de habilitação daqui.

Infelizmente, o Brasil e o Reino Unido não têm acordo de conversão do documento brasileiro, como ocorre com Portugal e Itália, e também não posso converter a carta de condução portuguesa para o Reino Unido, já que a União Europeia permite apenas uma conversão dentro do território.

Tendo isto em mente, procurei sobre o processo necessário para obter uma carteira de habilitação (driving licence) nas terras da rainha.

Atualmente, estou ainda com a carteira provisória, já que a quarentena da Covid-19 acabou inviabilizando as aulas de direção, mas te apresento abaixo o processo completo. Caso encontre algo divergente quando eu passar pelas demais etapas, atualizarei os detalhes.

Passo a passo

No site do governo, há uma lista de passos necessários para que se prossiga, do começo ao fim, até a almejada carta de condução britânica. Aqui, um resumo do que este documento apresenta:

1. Verifique se você pode dirigir

No primeiro passo, você deve observar o seguinte:

  1. Verificar com qual idade poderá dirigir: aqui, você verifica com qual idade você pode começar o processo, variando conforme o tipo de veículo (categoria) que você deseja. Para carro comum e motocicleta, a idade para começar a aprender é geralmente 17 anos.
  2. Obrigações legais de motoristas e condutores: há uma série de obrigações legais, que você confere no link deste item. Entre elas, especificamente para o aprendiz, destaco:
    • Ter o documento (provisório, no caso) necessário para a categoria do veículo;
    • Somente dirigir com um condutor qualificado (pode ser um amigo ou parente); e
    • exibir uma placa/adesivo de “L” (learner, aprendiz) ou “D” (caso more no País de Gales) no veículo.
  3. Requisitos da capacidade de visão:
    • Deve ser capaz de ler (podendo ser com óculos e/ou lentes) uma placa de veículo, feita a partir de 01/09/2001, a 20 metros de distância.
    • Deve ter uma acuidade visual de 0,5 (6/12) na escala Snellen. Um oftalmologista pode te dar esta resposta.
    • Deve ter um campo de visão adequado. Novamente, algo para confirmar com um oftalmologista.

Para caminhões e ônibus, os requisitos são mais rígidos.

2. Obtenha uma licença provisória

O processo para obtenção da licença provisória é bastante simples.

No link acima, você acessa o site da DVLA (Driver and Vehicle Licensing Agency, uma espécie de Denatran britânico), que possui um formulário para preenchimento. Nele, você explica de onde veio, onde mora, se já tem permissão para dirigir, entre outras coisas.

Com isso feito, e com o pagamento de uma taxa de 34 a 43 libras, você receberá em casa um formulário “D1”, que precisa ser preenchido com cuidado.

Feito isso, anexe uma fotografia de 3,5 x 4,5 cm (com fundo claro, sem sombras e sem acessórios que cubram o rosto) ao formulário.

Além disso, você precisará anexar um documento original de identidade que possibilite a eles ler sua digital e outros dados básicos. Ele será posteriormente devolvido. Se não for um passaporte ou identidade britânicos ou passaporte de cidadãos da Comunidade Europeia (EC) ou do Espaço Econômico Europeu, você deverá pedir a alguém de confiança para assinar as costas de sua foto.

Se não for um dos documentos de identificação que citei acima, tenha também em mente que você precisará enviar o visto que comprova que você tem permissão para viver no Reino Unido.

Por “alguém aplicável” para assinar sua foto, entenda que esta pessoa deve:

  • possuir uma carteira de habilitação britânica com foto;
  • te conhecer pessoalmente (por pelo menos 2 anos);
  • ser residente no Reino Unido;
  • não ser parente; e
  • não residir no mesmo endereço que você.

Entre os perfis de pessoas que poderiam fazê-lo, pense em bibliotecários da comunidade, comerciantes, advogados, professores, engenheiros, policiais, trabalhador do setor bancário, magistrado, membro do Parlamento, funcionário público, entre outros.

Esta pessoa deverá também preencher alguns dados no formulário.

Para mais detalhes sobre a sua identificação e a assinatura da foto anexada ao formulário, recomendo este link.

Depois de enviado o formulário, sua carteira provisória deve chegar em alguns dias.

3. Aulas práticas e teóricas

Aqui, é válido citar que você não tem um número obrigatório de aulas teóricas ou práticas para cumprir antes de agendar e se submeter aos testes teóricos e práticos.

Para a parte prática, você pode conduzir com um condutor experiente (inclusive familiares e amigos), seguindo as regras aplicáveis, até que se familiarize. Você não poderá transitar em autoestradas.

Para um melhor aproveitamento durante os testes, o governo cita alguns conteúdos com os quais a pessoa deverá estar familiarizada antes do teste prático:

  • The Highway Code (O Código da Autoestrada): o documento, disponível gratuitamente online ou em cópias impressas (pagas), descreve regras sobre pedestres, animais, motociclistas, condutores com necessidades especiais, trânsito em autoestradas, entre outras. Para a versão digital, acesse a página The Highway Code. Ele só se aplica à Escócia, Inglaterra e País de Gales.
  • No caso de aulas práticas, você pode dirigir em autoestradas se está com instrutor certificado, o carro possui controles duplicados (motorista e instrutor) e você está na Escócia, na Inglaterra ou no País de Gales. As aulas podem ser feitas durante o dia ou a noite e o veículo precisa ter a placa de “aprendiz” que mencionei anteriormente.
  • Na Irlanda do Norte, há um limite de velocidade de 45 milhas por hora para aprendizes.
  • Para encontrar um instrutor autorizado, acesse esta página.
  • Verifique as questões sobre segurança do veículo (as conhecidas “show me, tell me“, “me mostre, me explique” em tradução livre). O examinador fará uma pergunta de cada um dos dois tipos durante o exame prático. Nesta página, você tem o guia para a Escócia, Inglaterra e País de Gales.

Para o teste teórico, há alguns pontos interessantes:

Além disso, é interessante fazer simulações de exames teóricos e também considerar a compra do kit oficial de estudos.

4. Agendar seu teste teórico

Mediante o pagamento de uma taxa de 23 libras, você poderá agendar seu teste teórico.

No dia do teste, leve com você a carteira provisória de direção. Se for carteira de papel (sem foto), leve também seu passaporte.

Se for da Irlanda do Norte, deverá levar a duplicata (counterpart) de sua carteira junto com o documento.

5. Agendar seu teste prático

Mediante o pagamento de uma taxa de 62 a 75 libras, poderá agendar seu teste prático de condução.

O agendamento somente poderá ser feito se você já tiver passado no teste teórico.

No dia do teste, leve com você sua carteira de motorista provisória, o certificado de aprovação no teste teórico e um carro. Pode ser o seu carro (seguindo todas as regras) ou do instrutor com quem você teve aulas práticas, por exemplo.

Se for da Irlanda do Norte, deverá levar a duplicata (counterpart) de sua carteira junto com o documento.

Se fizer o teste em carro automático, poderá dirigir apenas veículos deste tipo (nada de carros manuais); se o fizer em carro manual, poderá conduzir ambos.

6. Passou? Viva!

Comemore!

Você pode começar a dirigir assim que passar (mesmo antes de receber o documento definitivo).

Para isso, tenha sempre contigo a apólice do seguro que te permita dirigir sem acompanhamento.

Se você ainda não se sente tão seguro para dirigir, poderá fazer um treinamento “Pass Plus”, que reforça suas habilidades e te ajuda a dirigir com mais segurança.

Considerações finais

Os dados citados acima foram tirados de um guia completo (em inglês) disponibilizado pelo governo britânico. Jamais considere meu texto como substituto para os textos oficiais.

As taxas mencionadas são aquelas publicadas pelo governo, que verifiquei na data de publicação deste texto. Para evitar problemas, verifique nas fontes oficiais antes de proceder com sua solicitação.

Quero muito reiniciar meu processo e obter a minha carteira definitiva britânica. Quando finalizar o processo, volto aqui para te contar!

Arrivederci! 🙂