Passeio de um dia em Greenwich

Vista de Londres a partir do Royal Observatory em Greenwich

Hoje eu gostaria de conversar com vocês um pouco sobre um ponto de Londres que eu sempre via nos livros da escola, mas que consegui visitar pela primeira vez pessoalmente: Greenwich.

Greenwich faz parte da capital britânica, mas por alguma razão eu sempre tive como algo distante e difícil de visitar.

Por volta de umas dez da manhã, segui em direção ao Sul de Londres, em um percurso que envolve metrô e DLR (um trem leve de superfície).

Para começar, visitei o Greenwich Vintage Market, uma espécie de feirinha de artigos antigos. Para os colecionadores de plantão, é um verdadeiro achado! De vinis antigos, a artigos de decoração e livros super envelhecidos, dá para passar uma hora analisando tudo.

⚠️ Dica: já falei do Greenwich Vintage Market e de vários outros na minha série sobre mercados preferidos de Londres, divididos em partes um e dois.

Aproveitei que estava no centro de Greenwich e visite os outros pontos muito bacanas, como o Greenwich Market (repleto de comida de diferentes países) e os arredores do Cutty Sark, um grande navio antigo colocado bem no centro de uma praça, e que é conhecido como o “último transportador de chá britânico”.

Saindo dali, conferi a Chapel of St. Peter & St. Paul, parte do complexo onde antes funcionou um centro de treinamento para a Marinha Real britânica.

O templo é pequeno, mas possui muitos detalhes interessantes em seu interior.

Saindo de lá, passei pelo National Maritime Museum, uma instituição que conta uma história bem rica da Marinha do Reino Unido. Sua fundação ocorreu em 1937, pelo rei George VI. Por conta da pandemia, porém, ele só podia ser visitado com reserva prévia. Se tiver a chance, recomendo! Com certeza, tentarei novamente no futuro.

Logo ao lado, nos mesmos domínios, visitei a Queen’s House. Este local teve sua construção iniciada entre 1614 e 1617, para servir à rainha Anne da Dinamarca. Mais tarde, a partir de 1635, serviu à rainha Henrietta Maria, esposa do rei Charles I. Seu uso nesta função, porém, não foi muito longo.

Apesar de ter sido modificado nos séculos posteriores, com vários dos elementos originais removidos ou substituídos, este lugar guarda ainda muita história para contar.

Um dos ícones é a Escadaria Tulipa, uma escada espiral que foi a primeira escada do tipo sem suporte central construída na Inglaterra.

Escadaria Tulipa na Queen's House, emGreenwich, Londres.
Escadaria Tulipa na Queen’s House, emGreenwich, Londres.

Subi a colina atrás da casa da rainha e segui até o topo, lar do Royal Observatory, um observatório que abriga o Primeiro Meridiano, Meridiano de Greenwich, que é o marco de referência do sistema de fusos e também de longitude, que começa em zero exatamente neste local.

O observatório é de acesso pago, mas seus arredores são de entrada gratuita. Além disso, à direita do relógio da entrada, há uma parte gratuita da representação do Meridiano de Greenwich, onde você terá a chance de pisar, literalmente, no “marco zero” mundial.

Aproveitei que estava nos arredores do observatório e me sentei no topo da colina para admirar a vista deslumbrante de Londres que se tem dali. Arrisco dizer que é uma das melhores vistas da capital britânica a partir do solo. Confira a imagem em destaque deste texto para confirmar…

Desci a colina e descansei um pouco no gramado do Greenwich Park, na vizinhança da Queen’s House. O local é sempre muito disputado e animado e, por sorte, peguei um dia de sol em pleno setembro (data da visita).

Gramado de Greenwich Park com Royal Observatory ao fundo.
Gramado de Greenwich Park com Royal Observatory ao fundo.

Seguindo novamente em direção ao laboratório, segui no sentido oposto ao de antes, passando pelo The Wilderness Deer Park, uma seção do Greenwich Park que abriga um grupo enorme de veados e muitos pássaros.

Saindo dali, terminei o passeio do dia com uma boa caminhada até o Emirates Air Line, uma espécie de teleférico de grandes proporções que te leva da margem sul à margem norte do rio Tâmisa, em um passeio curto, mas muito interessante.

Vista da Arena O2 a partir do Emirates Air Line - Londres. A arena é também chamada de Domo do Milênio.
Vista da Arena O2 a partir do Emirates Air Line – Londres. A arena é também chamada de Domo do Milênio.

Ah! E dá para pagar normalmente com o cartão Oyster do metrô. Salvo engano, também funciona com cartão de débito/crédito sem contato.

E é isso…

Espero que tenha gostado do meu passeio por Greenwich.

Até a próxima! 🙂

Marcado como: