Viagens, vida no exterior e cotidiano.

O que fazer em Windsor (1 dia)

Viagens25/07/2022

Olá!

A cidade de Windsor fica na região Sudeste da Inglaterra, a oeste de Londres.

Entre outras coisas, é conhecida por abrigar uma residência oficial da família real britânica, o Castelo de Windsor.

Entre os eventos importantes naquela região, o mais conhecido talvez seja o Royal Ascot, encontro anual de corridas de cavalos sediado na cidade vizinha de Ascot, no Ascot Racecourse, uma pista de corrida de cavalos a 6 milhas (quase 10 quilômetros) do Castelo de Windsor. O espaço, aliás, é arrendado, pertencendo originalmente às terras da coroa britânica.

No texto de hoje, vamos conhecer juntos o que há de mais interessante para se fazer na cidade.

Castelo de Windsor

Dica

Às terças, quintas e sábados, a partir das 11 da manhã, ocorre a troca/mudança da guarda no Castelo de Windsor.

Ponto principal da cidade, o que se conhece como Castelo de Windsor compreende uma série de construções, incluindo a Capela de São Jorge (St. George’s CHapel), a Torre Circular (The Round Tower), alguns jardins, os Apartamentos de Estado (State Apartments) e outros prédios dentro das muralhas.

O prédio original foi construído por William The Conqueror (conhecido como Guilherme o Conquistador em português) após a invasão Normânica à Inglaterra.

Desde então, tem sido residência contínua de monarcas ingleses e, posteriormente, britânicos, acumulando quase mil anos de história.

Aliás, vale destacar que o Castelo de Windsor é considerado o palácio com ocupação mais longeva em funcionamento.

A entrada para o castelo custa 26,50 libras (28,50 se for no sábado).

Há diversas partes das dependências reais que valem a visita, mas nomearei por aqui as que conheci durante a minha passada por lá:

Em primeiro plano, uma pequena lagoa rodeada por um jardim. Ao fundo, uma pequena colina que leva a uma torre circular de pedra.
Vista dos jardins e da Round Tower (torre ao centro), estrutura fortificada do castelo que hoje abriga os Arquivos Reais.

State Apartments (Apartamentos de Estado)

Antigamente, eram as salas de moradia e também de cerimônias oficiais dos monarcas, mas hoje a parte aberta ao público funciona apenas para eventos oficiais, já que a rainha fica em outras áreas do prédio, restritas ao público.

Conforme faz-se o passeio, podemos notar a série de quartos para o rei e a rainha, indo dos mais gerais até os mais reservados, que seriam de entrada permitida apenas a algumas figuras muito importantes da corte à época.

Além desta sala, temos enormes salões de jantar e de cerimônia, incluindo o St. George’s Hall, utilizado para os Banquetes de Estado, com mesa montada para 160 convidados.

Além de mobília extremamente rica em detalhes, pinturas e trabalhos no teto e nas paredes, temos tapeçaria muito bem trabalhada e uma sala com coleção de presentes que os monarcas já receberam de outros países.

Casa de Bonecas da rainha Maria (Mary of Teck)

Ao lado da entrada para os State Apartments, temos também uma sala com uma casa em miniatura, composta de múltiplos pavimentos.

Construída no início dos anos 20 para a rainha Maria, foi concluída em 1924.

Ela foi projetada pelo arquiteto Sir Edwin Lutyens, contando com o trabalho de diversos artesões e artistas da época. Entre os múltiplos itens de mobília e decoração, incluindo um sistema de água que funcionava, tem também alguns livros em miniatura com histórias originais de alguns autores britânicos muito conhecidos até hoje.

Ao contrário do que o nome propõe, não foi pensada como um brinquedo, mas como uma forma de demonstrar a genialidade e competência dos profissionais britânicos daquele período.

St George’s Chapel

Fundada no século XIV pelo rei Edward III, é ao mesmo tempo uma Royal Peculiar e a capela da Most Noble Oder of The Garter (Nobilíssima Ordem da Jarreteira).

Não entendeu? Explico:

  • Royal Peculiar é o tipo de igreja (ou capela) que é subordinada diretamente ao monarca, em vez de uma diocese. Na Inglaterra, como se sabe, a Igreja da Inglaterra (ou Anglicana) tem o monarca britânico como líder central (como o papa, na Igreja Católica). Apesar disso, há uma estrutura de paróquias e dioceses, como acontece com a igreja de Roma. No caso da Capela de São Jorge, porém, a rainha Elizabeth II é sua líder direta, sem “intermediários”.
  • Order of The Garter é a mais antiga ordem de cavalaria no sistema de honras do Reino Unido, tendo sido fundada pelo rei Edward III em 1348. É considerada a de maior prestígio no reino, tendo como membros apenas o monarca em atividade, o Príncipe de Gales (atualmente, o príncipe Charles) e mais 24 membros. É na Capela de São Jorge e na Ala Alta (Upper Ward) do Castelo de Windsor que acontece a cerimônia anual da ordem, sempre no mês de junho.

Ah! Esta capela é muito especial para a monarquia, abrigando diversos eventos importantes. Entre eles, destaco o casamento entre o príncipe Harry e Meghan Markle, em 2018.

Dr. Choc’s Windsor Chocolate Factory

Local bem agradável, onde você pode fazer seu próprio chocolate, tomar um sorvete ou saborear um bom café.

O gelato, aliás, era muito gostoso. Recomendo!

Thames Riverside at Windsor (margens do rio Tâmisa em Windsor)

Local muito agradável, com muitos gansos, cisnes e outros “parentes”.

Dá para ficar sentado curtindo a paisagem, fazer uma caminhada ou, se estiver com energia de sobra, alugar um dos pequenos barcos a remo e passear pelo rio.

Guildhall Windsor / Windsor & Royal Borough Museum

Uma sala com um acervo pequeno, mas interessante, coletado nos arredores e/ou doado por residentes.

Há peças de diferentes períodos e a entrada é gratuita.

No andar superior, um espaço privado para eventos, onde o príncipe Charles e Camilla se casaram em 2005.

The Crooked House of Windsor (algo como “casa torta” de Windsor)

Uma casa branca de quinas de pedra pintadas de cinza, que apresenta grande inclinação para o lado esquerdo da imagem.
The Crooked House of Windsor (oficialmente, Market Cross House).

Pequena casinha construída naquele estilo de colunas pretas de madeira/pedra, com paredes brancas.

Originalmente de 1687, foi reconstruída no século XVIII. Diz-se que está torta por ter sido construída com madeira verde/úmida, que foi envergando conforme secava.

Por ali, já passaram diversos estabelecimentos, mas na ocasião da minha visita, infelizmente, estava fechada (e completamente vazia).

Home Park / The Long Walk

Por aqui, originalmente uma área de caça da monarquia, temos uma estrada/trilha de mais de 4 quilômetros praticamente em linha reta, ladeada por um parque.

Windsor Royal Shopping

A estação de Windsor, chamada oficialmente de Windsor & Eton Central, tem ao seu redor o Windsor Royal Shopping, uma área repleta de restaurantes, cafés e lojas diversas.

Como chegar à Windsor

Uma das formas mais simples para se chegar a Windsor é através do trem, em percurso com apenas uma conexão.

O trajeto começa na estação de London Paddington, com troca de trem em Slough. A viagem termina em Windsor & Eton Central, em um total de cerca de 40 minutos desde a capital. O bilhete com ida e volta em qualquer horário (fora de pico) custava 12,80 libras na data da minha ida.

Há ônibus em Londres (daqueles panorâmicos) que oferecem trechos passando por Windsor.

Extras

Há alguns locais que acabei não visitando, mas que podem ser interessantes para alguns turistas, dependendo do foco da viagem:

  • Eton College: apesar de não ser aberta ao público, museus e galerias desta tradicional escola para meninos possuem entrada gratuita aos domingos, das 14:30 às 17 horas. O The Museum of Eton Life também abre aos sábados, no mesmo horário. Nesta escola fundada em 1440 por Henry IV (ou Henrique IV), os meninos estudam em regime de “internato”. Entre os alumni, 19 primeiros-ministros e os príncipes Harry e William, só para citar alguns. A escola fica, na verdade, na cidade vizinha, Eton.
  • LEGOLAND Windsor: parque de diversões e resort que tem como tema os famosos brinquedos Lego.
  • Magna Carta (Runnymede): Runnymede é um parque/jardim às margens do rio Tâmisa, que abriga um monumento onde foi assinada a Magna Carta, em 1215, pelo rei João. A Magna Carta foi assinada na presença de um grupo de barões, servindo como um documento que removia o “poder absoluto” da monarquia, sendo considerada o primeiro passo para o constitucionalismo britânico. Além deste monumento, há outros memoriais por ali.
  • The Savill Garden: uma série de jardins, uma lagoa e um roseiral. O último foi aberto pela rainha Elizabeth II em 2010.
  • Theatre Royal Windsor: bem ao lado do Castelo de Windsor, fora das muralhas, este teatro é o único no país a funcionar durante todo o ano sem subsídios. Diz-se que ali ocorrem estreias de muitos musicais que futuramente vão para West End, famosa área dos teatros em Londres.
  • Windsor Farm Shop: mercado de produtos da fazenda e um agradável café, conta com carne das dependências da coroa e outros itens de produtores locais.

Mapa do tesouro

Até a próxima! :)


Imagem de destaque:
Vista parcial da Capela de São Jorge (à esquerda), da Torre Circular (meio, ao fundo) e das muralhas.
© 2022. Un caffè per due. Feito com Gatsby