Assim como nos outros anos, dezembro traz consigo toda a enxurrada de enfeites de Natal, músicas típicas em eterna repetição e toda comida que for possível inserir nas comemorações.

Sempre fico curioso sobre a forma como as outras pessoas comemoram o nascimento de Jesus (ou a vinda do Papai Noel, se for mais a sua vibe).

Pensando nisso, assim como fiz no texto sobre a culinária típica do Reino Unido, juntei colegas de trabalho e conhecidos e perguntei: o que não pode faltar nas comemorações deste período na terra da rainha? O resultado, você confere abaixo…

Na cultura britânica, assim como na irlandesa, pubs são um elemento quase constante.

Tão populares no Reino Unido quando são os botecos no Brasil, alguns destes estabelecimentos já contam os anos de funcionamento em séculos.

Aqui em Londres, já vi diversos tipos de pubs, desde aqueles bem básicos e sem um elemento que os diferencie dos demais àqueles que você visita e quer ficar só para conferir o estilo do ambiente e a vibe dos visitantes.

Pensando nisso, resolvi facilitar o trabalho de quem passeia por Londres procurando estes lugares e trazer uma lista com várias das melhores opções para aquela pint no capricho ou apenas para uma noite agradável.

Capa de "The Subtle Art of Not Giving a F*ck". Todos os direitos reservados ao autor do livro, às editoras e outros responsáveis diretos ou indiretos pela obra.
Capa de “The Subtle Art of Not Giving a F*ck”. Todos os direitos reservados ao autor do livro, às editoras e outros responsáveis diretos ou indiretos pela obra.

Quem acompanha o blog há algum tempo já sabe que eu me propus a retomar o hábito da leitura este ano.

Aproveitando o desafio, também defini que estes livros seriam em inglês, já que quero continuar melhorando minha fluência no idioma, principalmente na amplitude de vocabulário.

Quem já viu meus textos anteriores sobre Londres já sabe que os museus são, no geral, de entrada gratuita.

Há exceções, como exibições especiais e temporárias, mas o acervo fixo geralmente não exige pagamento de ingresso.

O problema é que a cidade é um lugar caro, então convivemos com a máxima de que os museus são de graça, mas muitas das outras atrações são caríssimas.