Viagens, vida no exterior e cotidiano.

Um dia em Colchester, primeira cidade da Grã-Bretanha

Viagens15/08/2021

Olá!

A cidade que te apresentarei hoje é Colchester, no condado de Essex, na Inglaterra. Se você for dos tempos em que o Império Romano regeu esta ilha, porém, pode chamá-la de Camulodunum. 😉

Embora Londres hoje seja a capital do Reino Unido e a principal cidade do país, Colchester é considerada a primeira cidade* da Grã-Bretanha e foi a primeira cidade de grande porte do Império Romano nesta ilha, além da primeira capital britânica durante o domínio de Roma.

Curiosidade

*Colchester é a primeira town, mas não a primeira city da Grã-Bretanha. Embora ambas se traduzam para “cidade” no português, o título de city antigamente só poderia ser concedido a cidades que possuíssem uma catedral. Apesar de esta não ser mais uma das exigências, Colchester nunca foi uma city.

Meu passeio começou pelo trecho entre a estação de trem e Castle Park, uma enorme área verde na cidade. Entre outras coisas, é por ali que você pode conferir um longo trecho do antigo muro da cidade quando ela ainda estava sob domínio romano.

Como minha próxima atração estava marcada para mais tarde, aproveitei para curtir um cream tea na Small Talk Tearooms, um salão de chá muito simpático, com um estilo que me remete a décadas atrás.

Tudo estava delicioso! Além do cream tea com scones, também experimentei um bolo de comer rezando.

Parada rápida: o que seria cream tea?

No Reino Unido, há três tipos tradicionais de refeição com chá: cream tea, afternoon tea e high hea:

  • Afternoon tea é o mais famoso, o mundialmente conhecido “chá da tarde” inglês, e compreende algumas comidinhas como sanduíches, scones (com geleia e creme) e pequenas sobremesas acompanhadas de chá;
  • O high tea começou como uma refeição substancial dos trabalhadores ingleses quando retornavam do trabalho; como estes geralmente eram trabalhadores braçais, o chá aqui era acompanhado de uma refeição significativa (um prato quente).
  • O cream tea é algo mais leve, geralmente incluindo apenas alguns scones com geleia e clotted cream (similar à nata que se consome no Sul do Brasil); além do chá. Por ser mais leve, é uma opção que atende qualquer hora do dia.

Voltando de lá, fui conhecer o Castelo de Colchester (Colchester Castle), um castelo normânico muitíssimo antigo (século XI), que abriga hoje um museu sobre a história da cidade desde tempos anteriores ao Império Romano. O ingresso, em 2021, custava 10,95 libras para um adulto.

Saindo de lá, passei pela Jumbo Water Power, uma enorme torre de 1883 que serviu para o fornecimento de água potável para os habitantes da cidade de Colchester no período vitoriano, quando a comunidade local até então precisava se abastecer principalmente em poços geralmente contaminados.

A torre funcionou por cerca de um século, tendo seu uso encerrado em 1984. Pouco depois, a companhia de água vendeu a estrutura, que já passou por diversos donos e quase virou uma casa de alto padrão (entre outros usos muito controversos).

Logo ao lado, pude conferir o Balkerne Gate, um portão da antiga muralha romana da cidade. Um dos mais bem preservados de toda a Grã-Bretanha, foi construído no primeiro século da Era Comum. O trecho que podemos ver hoje consiste, principalmente, de duas passagens de pedestres, mas ele possuía ainda duas passagens de carruagens e outras passagens de pedestres.

Voltando para o centro da cidade, passando novamente pela via principal, saí por uma das vias secundárias para uma rápida parada pelo Dutch Quarter, um conjunto pequeno de casas coloridas muito charmosas.

Casinhas em sequência em uma visão em 45 graus de uma rua. Ao fundo, uma curva à esquerda.
Trecho do Dutch Quarter

O “quarteirão holandês” abrigou, na verdade, uma comunidade de refugiados flamengos (do norte da atual Bélgica) protestantes, que fugiram de perseguição após terem sido derrotados pela Espanha (católica) no século XVI.

Oficialmente, o quarteirão inclui trechos das seguintes vias (segundo o site Visit Colchester): Maidenburgh Street, West Stockwell Street, East Stockwell Street, Stockwell Street, St Helen’s Lane, Northgate Street e Nunn’s Road.

Saindo de lá, parei no Brook Red Lion Hotel, prédio que abriga um hotel e um restaurante. Construído em 1465, o local é tido como mal-assombrado.

Prédio branco com toda a estrutura de madeira que o sustenta exposta, pintada de preto. O estilo é conhecido como enxaimel.
O Brook Red Lion Hotel e seu lindo estilo enxaimel de construção (com a madeira exposta).

Segundo os boatos que cercam o local, pelo menos 3 diferentes espíritos povoam o hotel, de pessoas que teriam morrido ali em diferentes épocas.

Obviamente, não passei por ali por estes motivos (medroso, sim), mas para ver o estilo medieval da construção, muito bem preservado.

A comida do restaurante não era nada extraordinária, mas vale a visita.

Saindo de lá, me distanciei do centro antigo e fui conferir o St John’s Abbey Gate, que hoje é um portão já bem em ruínas, mas antes serviu como estrutura de proteção para uma abadia beneditina que existiu por lá. A construção data de algo por volta de 1400.

Para finalizar, fui até as ruínas do St. Botolph’s Priory, um monastério agostiniano fundado entre 1093 e 1100, que foi dissolvido em 1536 por ocasião da dissolução dos monastérios pelo rei Henrique VIII.

Apesar de estar em ruínas, as colunas ainda existentes, além de poucas paredes de pé, dão uma boa ideia da dimensão impressionante da sua estrutura original.

Grande área de grama, ladeada por colunas e arcos de pedra, que compõem as ruínas de um antigo monastério.
As ruínas do St. Botolph's Priory.

Já bastante cansado após um bom tempo de caminhada, me dirigi novamente a pé até a estação e voltei para Londres.

Como chegar à Colchester

Para chegar à cidade de Colchester, basta pegar um trem da estação London Liverpool Street, em Londres.

A viagem dura entre 40 minutos e uma hora, com bilhetes a partir de 20 libras (ida e retorno em horários fixos).

Extras

Por ocasião da pandemia e por conta do tempo que tinha disponível, acabei não visitando alguns locais. Cito eles aqui, para que você possa considerá-los se visitar a cidade:

  • Holytrees Museum: situado em uma casa georgiana do século XVIII (1718, pra ser mais exato), este museu abriga 3 séculos de história contada através de brinquedos, relógios, roupas de época e objetos de decoração. A entrada é gratuita e ele fica ao lado do castelo de Colchester.
  • Natural History Museum: museu de história natural dentro de uma antiga igreja. O foco principal é na geologia e na fauna locais. Entrada gratuita.

Mapa do tesouro

Até a próxima! :)


Imagem de destaque:
Castelo de Colchester visto a partir de um dos portões de entrada do Parque de Colchester.
© 2021. Un caffè per due. Feito com Gatsby