Viagens, vida no exterior e cotidiano.

Viagem de um dia à Cirencester, capital de Cotswolds

Viagens18/07/2021

Olá!

Quando estava planejando minha viagem à Bath, Bristol e Cardiff, quis incluir mais um destino que estivesse ao alcance de uma viagem de um dia a partir de Bristol, minha base de toda a viagem.

Entre as opções encontradas, estava Cirencester, uma cidade no condado de Gloucestershire que conta com cerca de 19 mil habitantes. É considerada a capital de Cotswolds. Para quem não sabe, Cotswolds é uma região bem famosa na Inglaterra por suas vilas pitorescas e belas paisagens.

A primeira parada foi na St. John the Baptist Parish Church. Esta igreja, matriz paroquial (anglicana) da cidade, data do século XII, mas passou por alterações e expansões posteriores.

Esta construção já fez parte de um monastério, que foi desmontado no período em que o rei Henrique VIII implementou a dissolução de várias estruturas católicas na Inglaterra, logo após seu rompimento com Roma.

Interior de uma igreja, com o alter ao fundo. O templo é ladeado por enormes colunas de pedra.
Interior da St. John the Baptist Parish Church, em Cirencester.

Logo ao lado, onde já existiu os jardins de uma abadia (que existia próxima da igreja atual), há The Abbey Grounds (ou Abbey Grounds Park), uma grande área verde, que se estende até o rio Churn, passando pelo Abbey Lake (um lago) e as ruínas da antiga muralha romana (Roman Town Wall) que já cercou a cidade.

Voltando da muralha e procurando algo para comer, parei na filial local do Coffee #1, rede de cafés inglesa.

_Comida no “papim”, pé no “camim”, como se diz em Minas Gerais, segui até o Corinium Museum, museu da cidade focado na história de Cirencester desde antes do domínio romano.

O museu, apesar de não ser gigante, possui um acervo bastante interessante, principalmente de quando a cidade ainda era conhecida como Corinium Dobunnorum, sob administração do Império Romano. Há, entre muitas outras coisas, alguns mosaicos lindos.

As representações do cotidiano à época também são muito interessantes, especialmente para crianças.

O ingresso custa 6 libras para adultos, com valores mais baixos para outras faixas etárias.

O passeio pelo museu deu fome novamente, então visitei o Toro Lounge, um restaurante/bar super charmoso, com comida boa (daquelas típicas de pubs). Ele também possui uma agradável área aberta, caso seja sua preferência.

Voltando à área da igreja, dei mais uma conferida na região conhecida como Market Place, que abriga uma feira, mas também uma série de lojas e cafés de diversos tipos. Por ali, encontra-se muito artesanato, artigos de antiguidade e comida.

Rua com prédios coloridos ao fundo, com carros estacionados logo em frente.
Market Place, em Cirencester. Ao fundo, à direita, Fleece Hotel.

Entre os prédios mais charmosos da Market Place, destaca-se o Fleece Hotel, de 1651!

Entre idas e vindas pela cidade, aliás, aproveitei para dar uma passada pelas diferentes ruinhas estreitas, algumas ainda com uma atmosfera bem medieval: Castle Street, Sheep Street e Park Street.

Rua com prédios antigos de pedra, de cor cinza.
Castle Street, em Cirencester.
Curiosidade

No período sob domínio do Império Romano, Cirencester chegou a ser a segunda maior cidade da Grã-Bretanha, perdendo apenas para Londinium (onde hoje temos o centro de Londres).

Saindo desta área, fui até o Cirencester Park, parque privado que fica nas propriedades conhecidas como “Bathurst”. O parque é composto, essencialmente, de uma longa estrada em linha reta, ladeada de ambos os lados por uma sequência de árvores.

Há também uma porção de mata com caminhos de terra, que servem para trilhas em meio à natureza.

Para terminar o passeio, fui até o Cirencester Amphitheatre, local onde antes havia uma arena romana. Hoje, há uma série de pequenos morros e áreas mais fundas. A maior delas representa o local onde a arena um dia existiu. As demais são locais onde antes havia a extração de rocha para a construção da cidade. Por ali, no trajeto até o centro da cidade, encontrará também um obelisco, cuja razão/origem ninguém conhece ao certo.

Como chegar à Cirencester

A partir de Londres

Para chegar à Cirencester a partir de Londres, você tem algumas opções:

  • De trem, você provavelmente sairá da estação London Paddington e irá até Kemble, trocando de trem em Swindon (Wilts). O percurso demora pouco mais de 1 hora e custa pelo menos umas 20 libras (varia conforme antecedência, horário e tipo de bilhete). De Kemble, pegue a linha 882 até Cirencester (menos de 5 libras, em dinheiro) ou táxi, que te custará umas 15 libras. O ônibus não funciona aos domingos e feriados.
  • De ônibus, você parte da parada London Victoria Coach Station e desce já em Cirencester. O percurso, de quase duas horas e meia, custa a partir de 7 libras, dependendo de horário e antecedência.

A partir de Bristol

Se você, assim como eu, decidir usar Bristol como sua base da viagem, o percurso provavelmente começará na estação de Bristol Temple Meads e seguirá até Kemble, fazendo o restante da viagem como já expliquei na seção de Londres. A viagem de trem demora cerca de uma hora e meia.

Você pode ou não ter de trocar de trem em Bristol Parkway.

Extras

Minha visita foi no dia 31 de maio, que este ano (2021) foi feriado na Inglaterra.

Por conta disso, acredito eu, não consegui visitar a New Brewery Arts, antiga cervejaria que hoje abriga lojas de artesanato, estúdios de criação e workshops. Se retornar à cidade, com certeza darei uma passadinha por lá.

Outra atração que pode valer a pena, principalmente se você estiver de carro, é o The Elemental Sculpture Park, área aberta com diversas esculturas.

Logo ao lado há também o Cotswold Water Park, grande parque com uma rede de lagoas, que abriga muitas espécies selvagens de fauna e flora.

No sentido contrário, ao norte de Cirencester, há também o Cerney House Gardens, um grande jardim murado estilo inglês nos arredores de uma casa do século XVII.

Mapa do tesouro

Até a próxima! :)


Imagem de destaque:
Vista de St. John the Baptist Parish Church a partir de Abbey Grounds. Cirencester.
© 2021. Un caffè per due. Feito com Gatsby